Sem poesia, a vida seria a morte.


sexta-feira, 31 de julho de 2015

Lua que salva flores,
doce é a vossa e a minha paz hoje.

Hoje sou eu a melodia que te ilumina.
Lua, és só a mais atenta testemunha de tudo o que sabe me conter assim,

infinita.

CQ

2 comentários: